Portugal 2020

Subscreva feed Portugal 2020
Actualizado: há 2 horas 34 minutos atrás

PDR 2020 abre candidaturas para projetos no Ribatejo

Seg, 29/06/2020 - 00:00

O Programa de Desenvolvimento Rural PDR 2020, lançou dois novos períodos de candidaturas abertos até 30 de Julho, nas linhas de apoio “Pequenos Investimentos na Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas” e “Diversificação de Atividades na Exploração” para projetos no Ribatejo.

 

A dotação orçamental de cada uma são 125 mil euros, através do Portugal 2020 e financiado pelo FEADER - Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural.

 

No total estão disponíveis 400 mil euros para projetos em Abrantes, Constância e Sardoal, nestes investimentos promovidos pela TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior, que se enquadram no Desenvolvimento Local de Base Comunitária Rural (DLBC Rural).

 

PEQUENOS INVESTIMENTOS NA TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS

 

Na medida “Pequenos Investimentos na Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas” esperam-se candidaturas que contribuam para o processo de modernização e capacitação de empresas desta área. A comparticipação é de 45% das despesas elegíveis até aos 200 mil euros.

 

Nesta linha, são valorizados pedidos de apoio nos setores prioritários na Estratégia de Desenvolvimento Local da TAGUS, tais como intervenções no olival, nos produtos biológicos, nos frutos vermelhos e nos hortofrutícolas.

 

Também são majorados investimentos em software aplicacional e em plataformas ou sítios na Internet, na eficiência energética e projetos que criem postos de trabalho.

 

DIVERSIFICAÇÃO DE ATIVIDADES NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA

 

Já na “Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola”, os projetos devem estimular o desenvolvimento de atividades nas explorações, que não sejam de produção, transformação ou comercialização de produtos agrícolas, e que contribuam diretamente para a manutenção ou melhoria do rendimento do agregado familiar ao criarem novas fontes de rendimento e de emprego.

 

Por isso, o apoio irá até aos 50% nas candidaturas que criem postos de trabalho, caso contrário o apoio será de 40% das despesas elegíveis para apoiar investimentos em unidades de alojamento turístico, serviços de recreação, lazer e outras iniciativas geradoras de receita. Nesta medida é valorizado o empreendedorismo proveniente de beneficiários jovens e qualificados.

 

Tanto nestes projetos de agricultores ou de membros do seu agregado familiar, como em pedidos de pessoas singulares ou coletivas, que se dediquem à transformação ou comercialização de produtos, têm um limite de 200 mil euros de investimento elegível.

 

Com a abertura destas duas linhas de apoios, que se juntam às duas componentes da operação 'Cadeias Curtas e Mercados locais' com 155 mil euros de dotação (75 mil na primeira componente e 80 mil euros na segunda), a TAGUS totaliza 405 mil euros de verba disponível para apoiar agentes locais do Ribatejo Interior.

 

Os avisos de concurso e a legislação aplicável aos projetos a implementar em Abrantes, Constância ou Sardoal, estão no website da TAGUS ou do PDR 2020, que deve consultar para obter mais informação.

 

Consulte os Avisos de concurso e Legislação aplicável.

 

 

 

Fonte: Agricultura e Mar Actual/PDR2020/Tagus

 

 

 

BEI e CE disponibilizam mais 4,9 mil milhões de euros para combate ao coronavírus

Seg, 29/06/2020 - 00:00

A Cimeira de Doadores «Objetivo Mundial: Unidos para o futuro», organizada pela Comissão Europeia e pela Global Citizen, mobilizou 6,15 mil milhões de euros de financiamento adicional a fim de contribuir para desenvolver e assegurar um acesso equitativo a vacinas, testes e tratamentos para o coronavírus.

 

Os fundos mobilizados apoiarão também a recuperação económica nas regiões e comunidades mais frágeis do mundo.

 

Este montante inclui um compromisso de financiamento pelo Banco Europeu de Investimento, em parceria com a Comissão Europeia, de 4,9 mil milhões de euros e um compromisso de financiamento pelos Estados-Membros da UE de 485 milhões de euros.

 

Aumenta assim para 15,9 mil milhões de euros o montante total dos compromissos assumidos no âmbito da maratona mundial de angariação de fundos em Resposta Mundial ao Coronavírus, lançada a 4 de maio por Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia.

 

A cimeira contou com a participação de 40 governos, que se comprometeram a assegurar o acesso universal aos medicamentos contra o coronavírus. Prometeram ainda que contribuiriam, de forma equitativa e justa, para a reconstrução das comunidades mais afetadas pela pandemia.

 

Em sinal de solidariedade mundial, a cimeira alcançou compromissos no respeitante a capacidades de produção de mais de 250 milhões de doses de vacinas destinadas aos países de rendimento médio ou baixo.

 

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirmou: «O mundo só se verá livre desta pandemia quando estiverem disponíveis vacinas, testes e tratamentos acessíveis a todos os que deles necessitem. Os compromissos hoje assumidos e a contribuição da Europa aproximam-nos mais deste objetivo mundial. O empenho da Europa é de longo curso. Recorreremos a todo o nosso poder de mobilização para o bem comum. Existe uma aliança forte para vencer este vírus, em conjunto.»

 

A campanha Objetivo Mundial: Unidos para o Futuro foi lançada em 28 de maio, com o patrocínio da presidente Ursula von der Leyen. É um marco no âmbito da Resposta Mundial ao Coronavírus, a ação mundial para o acesso universal à vacinação, ao tratamento e aos testes de coronavírus a preços acessíveis.

 

É a resposta da Comissão Europeia ao apelo mundial para a ação, lançado pela Organização Mundial da Saúde juntamente com os governos e os parceiros, em 24 de abril de 2020, face à pandemia.

 

Dos 15,9 mil milhões de euros angariados desde 4 de maio, 11,9 mil milhões de euros foram prometidos pelos Estados-Membros, pela Comissão e pelo Banco Europeu de Investimento. Destes 11,9 mil milhões de euros, 6,5 mil milhões foram angariados entre 4 e 28 de maio.

 

Para mais informações sobre as doações e a sua repartição, consulte a página Perguntas & respostas.

 

 

Fonte: CE Portugal

Ecomar mostra projetos financiados pelo Mar 2020

Seg, 29/06/2020 - 00:00

O Grupo de Ação Local (GAL) Ecomar, disponibilizou no seu website uma página com Projetos Apoiados pelo Programa Operacional Mar 2020, que estão já concluídos ou em execução.

 

Ecomar, é a entidade responsável pela gestão e implementação da Estratégia de Desenvolvimento Local (EDL) das freguesias costeiras de Torres Vedras e Lourinhã.

 

Este GAL é composto por 36 parceiros, representantes dos atores locais e agentes públicos com intervenção relevante no âmbito territorial de intervenção.

 

No âmbito do Mar 2020 há 15 grupos de Ação Local a implementar as suas estratégias de desenvolvimento para as comunidades costeiras, já com 151 projetos aprovados e um investimento apoiado de 24,5 milhões de euros.

 

 

Fonte: Mar2020

Projeto ‘Circular Labs’ lança Manuais sobre Economia Circular

Seg, 29/06/2020 - 00:00

O que é a Economia Circular? O porquê da Economia Circular na minha empresa? Porque preciso de um consultor em Economia Circular? Conheça as respostas a estas questões em três Manuais recentemente lançados pelo Projeto CIRCULAR LABS.

 

O Projeto CIRCULAR LABS é cofinanciado pelo FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa de Cooperação Territorial Interreg Espanha-Portugal.

 

Numa estratégia de disseminação e aprendizagem necessária e indispensável para uma sociedade mais inclusiva e sustentável, a ADITEC - Associação Para o Desenvolvimento e Inovação Tecnológica, lançou estes MANUAIS em português no propósito de contribuir para a formação dos mais diversos atores sociais e de "reaprender a viver", contribuindo para um futuro mais solidário, inclusivo e sem desperdício.

 

| Como implementar a economia circular na minha empresa?

| Como inovar na sua empresa através da economia circular

| Roll Up Circular Labs

 

O projeto CIRCULAR LABS integra a economia circular em novos modelos de negócios para acelerar a transição do modelo “linear” para o modelo “circular”, com base na eficiência no uso de recursos. 

 

Baseia-se na metodologia de redes, mercados, laboratórios vivos e acordos de inovação, por meio do trabalho colaborativo de entidades e pessoas, que aplicam o conceito de economia circular, bem como o uso das tecnologias de TIC e 3D. 

 

Assista ao vídeo sobre o CIRCULAR LABS.

 

Fonte: POCTEP

Apoios e recursos para a Comunicação Social

Seg, 29/06/2020 - 00:00

A equipa de Media e Imprensa da Representação da Comissão Europeia em Portugal disponibilizou um novo DOCUMENTO para melhorar o acesso a informações sobre fundos, projetos, acesso a recursos, publicações, prémios e outros apoios que podem ser relevantes para o setor da Comunicação Social e os jornalistas portugueses.

 

Esta lista não é exaustiva e não dispensa uma consulta mais detalhada das páginas da Comissão Europeia e restantes instituições. Qualquer sugestão de melhoria pode ser enviada para o e-mail: COMM-REP-LIS-Press@ec.europa.eu

 

Questões relacionadas com alguma das oportunidades listadas neste documento devem ser dirigidas aos contactos indicados na respetiva oportunidade. 

 

Consulte o DOCUMENTO atualizado a 23/06/2020.

 

 

 

Fonte: CE Portugal

Projeto ‘abem’ paga medicamentos a famílias carenciadas

Sex, 26/06/2020 - 00:00

O Projeto ‘abem’ paga os medicamentos a quem não os consegue pagar, através de um fundo de donativos, financiado por fundos da União Europeia no âmbito da iniciativa Portugal Inovação Social e do PO ISE – Programa Operacional Inclusão Social e Emprego.
 

Antes do ‘abem’, 1 em cada 10 portugueses não conseguia pagar os medicamentos de que necessitava e muitos confrontavam-se com a escolha: medicamentos ou comida?

 

Ainda que Portugal seja um dos países europeus com medicamentos mais baratos, muitas pessoas continuam sem os conseguir pagar, mesmo quando são receitados no SNS. Isto porque não há isenção no acesso ao medicamento (ao contrário do que acontece com as urgências ou com o médico de família).

 

O problema agravou-se com a pandemia. Por isso, a Associação Dignitude expandiu o ‘abem’ (um programa de donativos que existe desde 2016) e criou um fundo social de emergência.

 

Para as cerca de 15 mil pessoas apoiadas, o processo é agora simples: recebem em casa um cartão abem para cada um dos elementos do agregado familiar, e quando é preciso um medicamento basta levar a receita e o cartão a uma das farmácias parceiras (mais de 800 em todo o país) e levantar gratuitamente o remédio.

No final do mês, a Associação Dignitude transfere o dinheiro que é devido às farmácias. Todo o dinheiro dos donativos é utilizado para pagar medicamentos.

Já os custos fixos (ordenados, desenvolvimento de software...) foram financiados em 600 mil euros por fundos da União Europeia, através da Portugal Inovação Social, uma iniciativa do Portugal 2020 que canaliza o FSE - Fundo Social Europeu para projetos de Inovação Social.

 

 

 

Fonte: abem/PIS/RTP

 

 

'AddInov 4.0' dá financiamento para qualificação de PMEs

Sex, 26/06/2020 - 00:00

O Projeto 'AddInov 4.0' da InovCluster disponibiliza financiamentos às empresas que pretendam implementar novos métodos de organização, reforçar a presença na economia digital, utilizar novas tecnologias, implementar certificações, investir no design e criação de uma marca ou apostar na Eco inovação.

 

Este projeto, cofinanciado pelo Programa Operacional COMPETE 2020, representa uma oportunidade para as empresas do setor agroindustrial reforçarem a sua capacidade de resposta aos desafios presentes impostos pelo mercado, numa época em que o digital assume cada vez mais peso e a comunicação entre empresas e consumidores é uma condição para o sucesso. 

 

Os investimentos são apoiados até 50% e podem ser beneficiárias as empresas ligadas ao setor agroindustrial que cumpram as condições de elegibilidade.

 

A InovCluster – Associação do Cluster Agroindustrial do Centro, visa contribuir para o aumento da competitividade dos sistemas produtivos locais e regional e para a afirmação da Região Centro de Portugal ao nível nacional e internacional.

 

Para isso, estabelece uma plataforma de concertação entre os principais atores deste setor, e apoia as empresas em processos de inovação, IDT, transferência de conhecimento, qualificação, desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos, marketing e internacionalização.

 

 

 

Fonte: InovCluster/Agronegocios

 

 

Orientação sobre procedimentos de prevenção e controlo de infeção para o setor Agrícola

Sex, 26/06/2020 - 00:00

O PDR 2020 – Programa de Desenvolvimento Rural do continente, divulgou recentemente uma nova ORIENTAÇÃO oficial sobre ‘Procedimentos de Prevenção e Controlo de Infeção para o Setor Agrícola’.

 

No documento agora disponibilizado encontra as MEDIDAS GERAIS a aplicar a centrais de embalamento e armazenamento de fruta e legumes e REGRAS para os gestores das explorações agrícolas.

 

Consulte aqui:

 

| ORIENTAÇÃO ‘Procedimentos de Prevenção e Controlo de Infeção para o Setor Agrícola’

 

 

Fonte: PDR2020

Comissão Europeia distingue projeto português apoiado pelo Mar 2020

Sex, 26/06/2020 - 00:00

A Comissão Europeia distinguiu o projeto ‘Alga4Food’, cofinanciado pelo Programa Operacional Mar 2020, que tem como objetivo explorar os benefícios das macro algas comestíveis (algas marinhas) da costa portuguesa e promover o seu uso na culinária familiar portuguesa.

Num mundo em que os recursos alimentares são cada vez mais escassos, as algas são um produto promissor enquanto alimento saudável, a preços acessíveis e com baixos custos ambientais.

 

Desde 2017, o ‘Alga4Food’ tem como objetivo explorar os benefícios das macro algas comestíveis (algas marinhas) da costa portuguesa e promover o seu uso na culinária familiar portuguesa.

 

A equipa do ‘Alga4Food’ reúne os mundos da ciência e da gastronomia.

 

Primeiro analisaram diferentes tipos de algas marinhas para entender o seu sabor e valor nutricional e encontrar as melhores maneiras de conservá-las.

 

Em seguida, a equipa desenvolveu sugestões para o seu uso culinário.

 

Foram analisadas as semelhanças entre as algas e os alimentos tradicionais portugueses, como repolho, pepino do mar e cracas de ganso, e sugerido que tipos de algas podem funcionar como substitutos desses ingredientes em pratos tradicionais.

 

Saiba mais em: https://ec.europa.eu

 

 

 

Fonte: Mar2020

Nova ferramenta online para apoiar a transição do ensino básico para o secundário

Sex, 26/06/2020 - 00:00

Com o objetivo de apoiar a tomada de decisão dos jovens que estão neste momento na transição do ensino básico para o secundário, foi disponibilizado o website dinâmico 'ORIENTA-TE' onde é lançado um conjunto de desafios aos alunos.

 

A nova ferramenta é um projeto apoiado pelo Programa Operacional Lisboa 2020 e foi criada ANQEP - Associação Nacional para a Qualificação e Ensino Profissional, a Direção-Geral de Educação e proHUB - Investigação & Inovação para o Ensino Profissional.

 

​O instrumento dinâmico pretende ser um estímulo à escolha ativa de cada aluno e deve ser enquadrado no âmbito dos processos de orientação vocacional que cada escola assegura.
 

Os conteúdos emitidos são apresentados em 6 vídeos, que correspondem a 6 passos, que mobilizarão os jovens para a utilização do website www.orienta-te.net.

 

Os 6 PASSOS são: 

 

• Gostarias de conhecer alguém como tu? 

• Isso Interessa-me! 

• Sou competente! 

• Eu Valorizo! 

• As oportunidades que me esperam! 

• Cada vez mais perto da decisão! 

 

Com esta iniciativa, pretende-se que cada aluno tenha um papel mais ativo na construção do seu próprio projeto de educativo, mobilizando o autoconhecimento e a autorreflexão. 
 

ORIENTA-TE!

Fonte: ANQEP/POCH

‘Metrobus’ do Mondego vai avançar em Coimbra

Qui, 25/06/2020 - 00:00

A Infraestruturas de Portugal (IP) anunciou o lançamento do concurso para a construção do troço urbano, em Coimbra, do ‘Metrobus’ do SMM - Sistema de Mobilidade do Mondego.

 

A parte da obra que diz respeito à empresa IP, que envolve um investimento de 24 milhões e 320 mil euros, integra uma candidatura a fundos da União Europeia, para uma comparticipação de 85%, no âmbito do PO SEUR - Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

 

A empreitada a concurso compreende a adaptação da ferrovia da Lousã entre a Portagem e o Alto de São João, na cidade de Coimbra, a canal de BRT, no âmbito do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM), baseado em autocarros elétricos, vulgarmente identificado por ‘Metrobus’.

 

A empreitada, cujo concurso público foi lançado pelas três entidades envolvidas (Infraestruturas de Portugal, Águas Centro Litoral e Águas de Coimbra), tem um prazo de execução de 545 dias.

 

O projeto de “adaptação da infraestrutura ferroviária existente no troço urbano do ramal da Lousã, de forma a possibilitar a criação de um serviço de transporte em autocarros de alta capacidade em canal próprio, tipo BRT“, exige, designadamente, o levantamento das estruturas ferroviárias existentes, o tratamento e adaptação da plataforma ferroviária, melhoria da drenagem e estabilização de taludes e estruturas de contenção.

 

A “adaptação dos arruamentos ao canal existente (plataforma) e novo perfil transversal tipo”, a “integração urbana e tratamento paisagístico e adaptação da iluminação pública”, a execução de plataformas de passageiros e a construção de canal técnico são, ainda de acordo com a IP, outros dos trabalhos previstos.

 

O SMM foi a solução adotada pelo Governo, em 2015, para oferecer “uma resposta adequada às necessidades de mobilidade das populações”, na sequência da desativação do ramal da Lousã, há mais de uma década, para dar lugar à criação de um metropolitano ligeiro de superfície em Coimbra e área diretamente servida pela ferrovia (concelhos de Coimbra, da Lousã e de Miranda do Corvo).

 

 

Fonte: MetroMondego/Lusa/POSEUR

 

CE propõe orçamento de 16,7 mil milhões de euros para 2021

Qui, 25/06/2020 - 00:00

A Comissão Europeia (CE) apresentou ontem um orçamento da União Europeia (UE) no total de 16,7 mil milhões de euros para 2021, esperando que a verba seja reforçada com o Fundo de Recuperação comunitário pós-pandemia de COVID-19.

 

"A Comissão propôs hoje um orçamento de 16,7 mil milhões de euros para 2021, que será complementado por 211 mil milhões de euros em subvenções e aproximadamente 133 mil milhões de euros em empréstimos no âmbito da Próxima Geração UE, o instrumento de recuperação temporária destinado a mobilizar investimentos e a relançar a economia europeia", informa o executivo comunitário em comunicado.

 

Aludindo à proposta apresentada no final de maio sobre o Fundo de Recuperação após a crise gerada pela COVID-19, a Comissão Europeia indica que, "em conjunto, o orçamento anual e a Próxima Geração UE mobilizarão investimentos significativos em 2021 para fazer face aos prejuízos económicos e sociais imediatos causados pelo novo coronavírus, [visando] dar início a uma recuperação sustentável e proteger e criar empregos".

 

A proposta apresentada sobre o Fundo de Recuperação ainda terá de ter aval dos líderes europeus, que se reunirão presencialmente numa cimeira em Bruxelas a 17 e 18 de julho.

 

 

Fonte: Lusa/CE

Europa Criativa abre concurso para projetos de Cinema

Qui, 25/06/2020 - 00:00

O Europa Criativa 2014-2020 - Programa da União Europeia de apoio aos setores cultural e criativo, lança o segundo convite à apresentação de propostas relativos à Ação Preparatória – ‘Cinemas as Innovation Hubs for Local Communities’.

 

O objetivo é testar novos modelos e novas experiências de fruição de cinema, levando em consideração as necessidades das comunidades locais. Os projetos podem ser financiados até 70 % dos custos totais, com limite de 500 000 euros por projeto.

 

O prazo-limite para as candidaturas é 7 de agosto de 2020.

 

O foco estará em projetos capazes de repensar a experiência cinematográfica após a crise pandémica de COVID-19, com vista à criação de espaços culturais inovadores, em particular a cooperação entre cinemas e plataformas VOD.

 

Destaque também para o desenvolvimento de audiências e na construção de comunidades por meio de experiências interativas (através da oferta de uma ampla gama de atividades culturais e educacionais) envolvendo a colaboração entre as salas de cinema e outros operadores dos setores cultural e criativo.

 

Toda a informação e documentação pode ser consultada AQUI.

 

O programa Europa Criativa é um programa de cofinanciamento a fundo perdido, sem quotas por países, no qual impera a competição direta entre projetos. Pela sua natureza, e cumprindo a regra da subsidiariedade, o programa Europa Criativa promove a competitividade e a capacidade dos setores cultural e criativo europeus para operarem internacionalmente, apoiando exclusivamente projetos com valor acrescentado europeu.

 

O programa estrutura-se em dois subprogramas e uma vertente intersetorial:

 

1) Subprograma MEDIA (de apoio aos setores cinematográfico e audiovisual);
 

2) Subprograma CULTURA (dirigido às restantes expressões culturais e artísticas);
 

3) Uma vertente intersetorial que compreende, nomeadamente, um mecanismo financeiro de garantia (CCS Guarantee Facility) destinado às PME dos setores cultural e criativo (implementado em 2016), ou o financiamento dos Centros de Informação Europa Criativa.

 

O programa comporta ainda um conjunto de prémios e iniciativas, tais como as Capitais Europeias da Cultura.

 

SUBPROGRAMA MEDIA - FINANCIAMENTO AO SETOR AUDIOVISUAL

 

A Comissão Europeia, através do programa Europa Criativa e do seu subprograma MEDIA, atribui apoio financeiro ao setor do cinema e do audiovisual europeu com vista à profissionalização do setor, à circulação das obras e à promoção do desenvolvimento de audiências.

 

Neste contexto, as 14 linhas de apoio financeiro atuam desde a formação de profissionais até à exibição e promoção das obras, passando pelo desenvolvimento de obras cinematográficas, pela produção de obras para televisão, pelo financiamento a projetos de distribuição e exibição, bem como pelo apoio a festivais e ações de desenvolvimento de audiências e educação cinematográfica.

 

O subprograma MEDIA concorre, assim, para que que filmes e obras audiovisuais europeias, incluindo longas-metragens de ficção para cinema e televisão, documentários criativos, animação, videojogos e outros conteúdos digitais, encontrem mercados além das fronteiras nacionais e europeias.

 

A título de exemplo, o Apoio à programação TV de obras audiovisuais europeias dispõe de um orçamento que ascende a 13,5 milhões de euros dirigido a obras de ficção, filmes de animação e documentários criativos (obras unitárias ou séries).

 

Saiba tudo sobre Subprograma MEDIA.

 

Para mais informações e apoio na preparação de candidaturas contactar:

Centro de Informação Europa Criativa

Susana Costa Pereira: susana.costapereira@europacriativa.eu

 

 

Fonte: CE Portugal

ALENTEJO 2020 apoia contratação de Doutorados e Mestres para inovação tecnológica

Qui, 25/06/2020 - 00:00

A Autoridade de Gestão do Programa Operacional ALENTEJO 2020 e a Universidade de Évora (UÉ) assinam esta quinta-feira, os Termos de Aceitação no âmbito da Contratação de Recursos Humanos Altamente Qualificados – Instituições de Interface/Infraestruturas Tecnológicas.

 

O procedimento envolve o financiamento global de 2.387.822,79€ para contratação de 19 Doutorados e 6 Mestres, para desenvolver atividades de transferência de conhecimento em 13 Infraestruturas ou Unidades de I&D da Universidade de Évora.

 

Os documentos são assinados pela Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas e pelo Presidente da Autoridade de Gestão do ALENTEJO 2020, Roberto Pereira Grilo.

 

De acordo com a informação disponibilizada, “a Universidade de Évora pretende assim contribuir para o desenvolvimento do território e para a qualificação de recursos humanos, reforçando a inovação do tecido económico nacional através da oferta de novos produtos e serviços e de novas empresas e empreendedores, estimulando uma mais eficaz articulação com as empresas e promovendo o cruzamento do ecossistema empresarial com as Infraestruturas de I&D.”

 

De referir que, o Programa Operacional Regional ALENTEJO 2020 abriu este Aviso de Concurso “Contratação de Recursos Humanos Altamente Qualificados” – Instituições de Interface/ Infraestruturas Tecnológicas” no domínio da Competitividade e Internacionalização, com o objetivo de promover a sustentabilidade e qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores, sendo a Prioridade de Investimento a adaptação dos trabalhadores, das empresas e dos empresários à mudança.

 

A candidatura submetida pela UÉ, designada RH-VITA (Recursos Humanos para a valorização, Inovação e Transferência de Tecnologia no Alentejo), envolve o custo elegível de 2.809.203,28€, que, à taxa de comparticipação pública prevista no Aviso, de 85%, corresponde a uma comparticipação de 2.387.822,79€ do FSE -  Fundo Social Europeu.

 

Os recursos humanos contratados exercerão atividades nas seguintes infraestruturas e Unidades de I&D

 

  • MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente; CIEMAR – Laboratório de Ciências do Mar; MED – Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas; ICT – Instituto de Ciências da Terra; CILIFO – Pólo do Centro de Investigação e Luta contra Incêndios Florestais; Laboratório HERCULES; CHRC – Health Research Centre; REQUIMTE; Cátedra de Biodiversidade; Cátedra das Energias Renováveis; BigDATA ;GAITEC – Gabinete de apoio à Inovação, Transferência, Empreendedorismo e Cooperação; Hospital Veterinário da UÉ.

 

 

Fonte: Alentejo2020/UEvora/Digital

Ciclo de webinars para ajudar a construir um novo modelo de Agricultura

Qui, 25/06/2020 - 00:00

CULTIVAR, um projeto que pretende responder aos desafios que as fileiras do setor agroalimentar da Região Centro enfrentam, promove, a partir do próximo dia 3 de julho, pelas 17 horas, um ciclo de webinars temáticos intitulado ‘CULTIVAR DIÁLOGOS, CONSTRUIR CAMINHOS’.

 

Segundo o CULTIVAR, um projeto cofinanciado pelo Programa Operacional CENTRO 2020, é necessário um modelo diferente de agricultura, baseado na diversificação das unidades produtivas e das paisagens agrícolas, substituindo aditivos químicos, valorizando a biodiversidade e estimulando as interações entre diferentes espécies.

 

O objetivo da iniciativa, que se realiza via Zoom com streaming na página web do CULTIVARYouTube e/ou Facebook, é promover um diálogo sobre o passado e o presente dos sistemas agrícolas, ajudando a construir caminhos para um futuro que tem de ser obrigatoriamente diferente.

 

“Cultivado no passado: legados históricos das práticas e políticas para a agricultura” é o tema do primeiro webinar, que conta com a participação de Fernanda Rollo, Professora da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Dulce Freire, Professora da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e Maria Helena da Cruz Coelho, Professora da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

 

O CULTIVAR defende que é preciso aproximar a produção alimentar dos circuitos de distribuição e consumo, envolvendo as comunidades nestas dinâmicas de responsabilidade coletiva.

 

A grande missão do projeto CULTIVAR é responder aos desafios que as fileiras do setor Agroalimentar da Região Centro enfrentam, nomeadamente caracterizar, conservar e valorizar os recursos genéticos endógenos regionais em zonas de baixa densidade, através de uma estratégia de desenvolvimento territorial, promovendo e consolidando a colaboração entre instituições de ciência, tecnologia e ensino superior e o cluster Agroalimentar.

 

É cofinanciado pelo CENTRO 2020, através do FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

 

 

Fonte: Cultivar/Agronegocios/Centro2020

AVISO | Utilização abusiva de referências ao Portugal 2020

Qua, 24/06/2020 - 00:00

Têm sido divulgadas na internet várias iniciativas destinadas à Internacionalização de Empresas para Europa, assentes em parcerias luso brasileiras, através de um alegado “Hub Portugal”, que contaria com a intervenção do Portugal 2020.

 

A informação divulgada é falsa, não encontrando qualquer enquadramento nas tipologias de apoios cofinanciadas pelos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento no âmbito do Portugal 2020.

 

Alerta-se, por isso, para o facto de tais iniciativas poderem eventualmente vir a consubstanciar expedientes de natureza ilícita ou fraudulenta.  

 

Assim, aconselha-se que qualquer questão seja dirigida diretamente às fontes oficiais – a Agência para o Desenvolvimento e Coesão e os Programas Operacionais ou ainda através do Portal Portugal 2020.

 

Por fim, informa-se que as iniciativas divulgadas nos sites a seguir identificados, não correspondem a informação reconhecida pelas entidades oficiais portuguesas com competências para intervir nesta matéria:

 

| https://www.eventbrite.com.br/e/internacionalizacao-de-empresas-para-europa-atraves-do-hub-portugal-tickets-108716072700?aff=ebdssbonlinesearch&fbclid=IwAR1lmWIlmEk3xL8M45pihebGPklz97i4ReyZp622hg2Po382ItaxHZX6xFk

 

| https://www.sympla.com.br/webinar-internacionalizacao-de-empresas-para-europa-atraves-do-hub-de-portugal__883890

 

 

Fonte: AD&C

 

Metro de Lisboa recebe três propostas para expansão da rede

Qua, 24/06/2020 - 00:00

O Metropolitano de Lisboa já recebeu três propostas para a execução dos troços entre a estação de Santos e o término da estação do Cais do Sodré, no âmbito da nova Linha Circular, uma obra que será cofinanciada pelo PO SEUR –  Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

 

A informação de que foram entregues três propostas para executar esta empreitada, a segunda da expansão da rede metropolitana, foi adiantada em comunicado.

 

O concurso foi lançado em março, com um preço base de 90 milhões de euros, “devendo os trabalhos a realizar prever as funcionalidades e as condicionantes próprias de uma construção em ambiente urbano, mantendo a rede do metropolitano em exploração, sem suspensão da circulação rodoviária e pedonal na zona envolvente”.

 

A empreitada enquadra-se na concretização do Plano de Expansão da Rede do Metropolitano de Lisboa para o prolongamento das linhas Amarela e Verde (Rato/Cais do Sodré), “viabilizando a criação de um anel envolvente na zona central da cidade de Lisboa, tendo por base vários estudos realizados entre 2009 e 2017, que apontaram como prioritário este prolongamento”, refere a nota.

 

Em maio, foi assinado o contrato referente à execução dos troços entre o término da estação do Rato e de Santos, obra adjudicada à empresa ZAGOPE – Construção e Engenharia, S.A, por um valor base de 48,6 milhões de euros.

 

O Metro destaca ainda que a terceira empreitada, que diz respeito à construção de dois novos viadutos sobre a rua Cipriano Dourado e sobre a Avenida Padre Cruz, na zona do Campo Grande, “aguarda entrega de propostas até 21 de agosto”.

 

“O investimento total previsto para esta fase de expansão do Metropolitano de Lisboa é de 210,2 milhões de euros, cofinanciado em 127,2 milhões pelo Fundo Ambiental e em 83 milhões pelo Fundo de Coesão, através do PO SEUR – Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos”.

 

 

Fonte: Diário Distrito/POSEUR

 

Tâmega e Sousa integra projeto europeu para tecnologias digitais nas empresas ‘DigiBEST’

Qua, 24/06/2020 - 00:00

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Tâmega e Sousa integra o projeto europeu ‘DigiBEST’ - Digital Business EcoSystem Transformation para apoiar as PME - Pequenas e Médias Empresas do território através das novas tecnologias digitais.

 

O projeto europeu ‘DigiBEST’, cofinanciado pelo Programa de Cooperação Territorial Europeia Interreg Europe, tem como objetivo apoiar e promover a competitividade das Pequenas e Médias Empresas [PME] através da transformação digital do ecossistema empresarial, propondo soluções que aumentem a capacidade destas para utilizarem tecnologias e abordagens empresariais inovadoras.

 

O consórcio internacional é liderado pelo Ministério da Proteção Ambiental e Desenvolvimento Regional da República da Letónia e conta ainda com a participação da Universidade da Letónia, Noruega, Itália, Espanha e Áustria.

 

Saiba mais sobre o projeto ‘DigiBEST’.

 

 

Fonte: NCTE-AD&C

Campanha “Vamos Conservar o que é Nosso” com apoio do Mar 2020

Qua, 24/06/2020 - 00:00

A ANICP – Associação Nacional dos Industriais de Conservas de Peixe, lançou ontem, 22 de Junho, uma campanha de promoção do património gastronómico presente nas conservas portuguesas, com apoio do Programa Operacional Mar 2020.

 

A campanha sob o lema ‘Vamos conservar o que é nosso’ tem como propósito sensibilizar o público para os produtos da pesca e da aquacultura sustentáveis, apresentando as conservas enquanto exemplo distintivo de tradição e excelência da indústria e superioridade do peixe.

 

A ANICP identificou o momento presente como uma oportunidade para reforçar a promoção das conservas portuguesas de peixe fabricadas em Portugal, tendo em conta a atual valorização dos alimentos em conserva e a forte atividade do setor, o qual exporta anualmente cerca de 70% da produção ao qual correspondem 43 mil toneladas e um valor 226 milhões.

 

Entre as espécies mais exportadas estão em primeiro lugar o atum, seguido da cavala e da sardinha.

 

A fileira produz actualmente 62 mil toneladas, 30% das quais para o mercado nacional, e é responsável por 3.500 postos de trabalho directos, 90% dos quais ocupados por mulheres.

 

VALORIZAR AS CONSERVAS PORTUGUESAS

 

José Maria Freitas, presidente da ANICP, afirma que “é necessário diferenciar e valorizar as conservas portuguesas face à concorrência – produtos de baixa qualidade e mais baratos -, reposicionar as conservas portuguesas através de uma estratégia de valorização sustentada pela qualidade, a origem, a tradição, a praticidade na confecção, mas também enquanto produto saudável, e, sobretudo, criar um ecossistema de valorização das conservas portuguesas, visando agregar tradição, inovação e competitividade às marcas da indústria conserveira”.

 

Dos objetivos da campanha constam o aumento da divulgação e notoriedade das conservas de peixe portuguesas, criando condições para que os consumidores façam uma escolha informada e fomentando a preferência dos portugueses pelo consumo de produtos de origem nacional.

 

‘Vamos Conservar o que é nosso’ surge como uma marca “umbrella” (“chapéu”), algo completamente inovador para a indústria, sob a qual vão decorrer um conjunto de iniciativas de carácter coletivo para dinamizar o mercado interno e valorizar a oferta nacional.

 

A campanha é concretizada de forma integrada nos vários de meios de comunicação, nas redes sociais, mupis (na foto), mas também na construção de relações com a imprensa especializada nacional e internacional para potenciar a exposição e mediatização e aumentar a notoriedade dos conserveiros portugueses a nível global.

 

A ANICP pretende que a campanha ‘Vamos Conservar o que é nosso’, que agora arranca e que se prolonga até Setembro, sirva de argumento para o crescimento e competitividade do tecido económico constituído pelas indústrias de conservas de peixe portuguesas e permita aumentar a produção nacional.

 

A campanha ‘Vamos conservar o que é nosso’ constitui um investimento de mais de 680 mil euros, incluindo todas as iniciativas de comunicação e promoção, sendo financiada pelo Mar 2020, através de Fundos União Europeia.

 

 

Fonte: Mar 2020/ Agricultura e Mar

 

 

Obras de saneamento em Figueiró dos Vinhos com apoio PO SEUR

Qua, 24/06/2020 - 00:00

O Município de Figueiró dos Vinhos anunciou que garantiu apoio do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, para dois projetos de saneamento no valor de 5,7 milhões de euros, no âmbito da APIN – Empresa Intermunicipal de Ambiente do Pinhal Interior.

 

Numa nota de imprensa, a Câmara de Figueiró dos Vinhos informa que foram assinados os contratos de financiamento das candidaturas “Fecho de Sistemas de Saneamento de Águas Residuais”, com um valor de investimento de 5.739.094 euros.

 

Estes projetos, submetidos ao Portugal 2020, concretamente ao PO SEUR, vão permitir “aumentar a taxa de cobertura de saneamento (esgotos) existente, passando dos atuais 29% para, aproximadamente, 66%, o que significa, desta forma, mais do que duplicar a taxa de cobertura do concelho com saneamento básico”, refere a mesma nota.

 

O Município avança que que as obras irão começar a curto prazo.

 

O Ministro do Ambiente assinou no dia 16 de junho com a APIN contratos de 37 milhões de euros de investimento, com 22 milhões de Fundos da União Europeia.

 

“Para se ter uma ideia, dos 100 milhões de euros que havia para os municípios de todo o país que se agregassem no domínio do ciclo urbano da água, 22,4 milhões, quase um quarto desse dinheiro, é afeto a um território de 90 mil habitantes”, disse à agência Lusa João Pedro Matos Fernandes.

 

O ministro do Ambiente e da Transição Energética destacou a “grande coragem por parte dos municípios em perceberem que se devem agregar, trabalhar em conjunto e em perceber que este é o caminho e que para poderem continuar a beneficiar de fundos comunitários as tarifas têm de ser justas”.

 

 

Fonte: APIN/Região Leiria/POSEUR

Páginas