Portugal 2020

Subscreva feed Portugal 2020
Notícias
Actualizado: há 2 horas 59 minutos atrás

Candidaturas abertas ao Proderam 2020 até 18 de maio

Sex, 20/04/2018 - 12:56

20/04/2018

O Proderam 2020  – Programa de Desenvolvimento Rural da R.A. Madeira, abriu ontem, 19 de abril, mais um período de candidaturas à Submedida 8.3 - Apoio à prevenção da floresta contra incêndios florestais, catástrofes naturais e acontecimentos catastróficos.

A submedida visa apoiar a implementação de ações de prevenção da floresta contra agentes bióticos e abióticos, como por exemplo a criação de infraestruturas de proteção, caminhos florestais, trilhos, pontos de abastecimento de água.

As candidaturas poderão ser entregues até dia 18 de maio.

Para mais informações consulte os Avisos de Abertura de Período de Candidatura no website do Proderam 2020.

A  Autoridade de Gestão do Programa recomenda que as candidaturas sejam acompanhadas de todos os documentos que são exigidos, e que se encontram indicados no Formulário de Candidatura e nas Orientações Técnicas Específicas, quando aplicável, sob pena de a candidatura não ser aceite.  

As candidaturas aos apoios deverão ser formalizadas através da apresentação de formulário atualizado, disponível no website do Proderam 2020.

Para esse efeito, durante o período em que decorrer a apresentação de candidaturas, o beneficiário deverá aceder ao website do Proderam 2020 e descarregar para o seu computador o respetivo Formulário de candidatura, garantindo assim que o formulário apresentado é o correto. 

 

 

Fonte: Proderam 2020

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Projetos PO SEUR de Portas Abertas na campanha 'EU in My Region'

Sex, 20/04/2018 - 11:25

20/04/2018

O PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, participará durante o mês de maio na iniciativa «A Europa na minha região - EU in my Region», uma campanha da Comissão Europeia que incentiva os cidadãos a descobrirem os projetos europeus na zona onde vivem e a partilhar as suas imagens e experiências.

Para comemorar o Dia da Europa, a 9 de Maio, durante este mês alguns projetos cofinanciados vão estar de Portas Abertas para serem visitados pelo público em geral, tornando mais próximo e direto o contacto com os resultados dos fundos da União Europeia.

Na plataforma da iniciativa «EU in my Region» é apresentado um mapa da Europa que tem georreferenciados os projetos selecionados que estarão de Portas Abertas nas seguintes datas:

  • ReDuna “Recuperação e Restauração Ecológica do Sistema Dunar de S. João da Caparica” - 1 a 31 de maio

  • Unidade de tratamento mecânico e biológico por digestão anaeróbia, de Resíduos do Nordeste - 9 de maio

  • TMB da GESAMB - 9 de maio

  • Reabilitação de Estruturas de Defesa e Proteção Costeira em Viana do Castelo e em Esposende (Molhe norte do Cávado e Paredão da praia do Norte) - 1 a 31 de maio

  • Proteção do Litoral na Região Centro entre as Praias do Furadouro e Vieira (Reforço da Proteção na Frente Marítima do Forte de Buarcos e Reforço e Reabilitação dos Esporões da Torreira, Barra, Costa Nova e Mira)  - 1 a 31 de maio

  • Reabilitação da estrutura aderente de proteção da Praia da Granja, Vila Nova de Gaia - 1 a 31 de maio

  • Projeto de Eficiência energética do Edifício Central do IPC-ESAC - 9 de maio

  • Remodelação e Ampliação do Quartel dos Bombeiros Voluntários e Aquisição de um veiculo operacional de proteção e socorro: Veiculo Tanque Tático Florestal (VTTF) para a Associação Humanitária Bombeiros Voluntários Anadia - 9 de maio        

  • Reabilitação e Requalificação do Quartel dos Bombeiros Municipais de Leiria -7 a 11 de maio

  • Ambiente em Matosinhos: ETAR – Tratamento Secundário - 9 de maio   

  • Escola da Natureza - 5 a 12 de maio

  • ETAR da Companheira - 9 de maio 

  • ETAR de Câmara de Lobos (Funchal) - 9 de maio 

  • Radar Meteorológico da Região Autónoma da Madeira (Porto Santo) - 10 de maio 

     

 

 

 

Fonte: PO SEUR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estratégia Regional pós-2020 continua no Algarve

Qui, 19/04/2018 - 15:35

19/04/2018

A CCDR Algarve - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, promove no próximo dia 2 de maio, uma SESSÃO ABERTA AO PÚBLICO dedicada à discussão da Estratégia Regional para o pós-2020, que decorrerá no Convento do Espírito Santo, em Loulé.

A sessão inicia-se pelas 14h30, com a receção aos participantes e preenchimento de um questionário de avaliação prospetiva, e será aberta às 15 horas por Francisco Serra, Presidente da CCDR Algarve, e Vítor Aleixo, Presidente do Conselho Regional e da Câmara Municipal de Loulé.

A reflexão estratégica sobre o futuro de Portugal no médio e longo prazo é um exercício da maior importância, que está a ser realizada de forma abrangente, de modo a que esta discussão se reflita nos grandes objetivos para o país, bem como na orientação das políticas públicas que para eles concorrem.

Através de audições e consultas públicas, já realizadas em Faro e em Vila Real de Santo António, iniciou-se a preparação do próximo período de programação dos fundos da União Europeia no Algarve, que deverá respeitar os objetivos e opções que venham a ser definidos na estratégia para o país, pretendendo-se o envolvimento dos variados atores económicos e sociais da região.

Acima de tudo, estas sessões visam promover a participação dos cidadãos, das empresas e das instituições no processo de construção de uma estratégia, que se deseja partilhada e que contemple a discussão dos grandes desígnios e desafios regionais para a próxima década.

Por outro lado, a CCDR Algarve criou um espaço no seu website onde cada cidadão ou instituição pode consultar os vários documentos de reflexão e submeter os seus contributos em Algarve 2030.

As inscrições devem ser efetuadas até ao dia 30 de abril, são livres e estão sujeitas à capacidade da sala.

DATA: Quarta, Maio 2, 2018 - 14:30
LOCAL: Convento do Espírito Santo, Loulé
INSCRIÇÃOFormulário Online

 

 

 

Fonte: CrescAlgarve 2020

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Concurso de Fotografia 'FLASH Madeira 14-20' para campanha 'Europe in my Region'

Qui, 19/04/2018 - 12:42

19/04/2018

O IDR - Instituto de Desenvolvimento Regional, IP-RAM, vai dar prémios à melhor imagem inspirada no tema ‘Europe in My Region’ no âmbito do concurso ‘FLASH Madeira 14-20’, cujas candidaturas decorrem até 29 de abril.

Este concurso visa a procura das melhores fotografias de projetos cofinanciados pelo Programa Operacional Madeira 14-20, com a população regional a (re)descobrir as histórias de sucesso na aplicação de Fundos da União Europeia, estimulando a produção de suportes fotográficos inspirados na vivência da cidadania europeia.

O IDR associa-se assim à campanha ‘Europe in my Region–#EUinmyRegion’ promovendo um conjunto de atividades entre as quais o concurso ‘FLASH Madeira 14-20’, com candidaturas até 29 de abril.

Pretende-se estimular a produção, exibição e apreciação de fotografia na Região Autónoma da Madeira, aproveitando o mote para a celebração do Dia da Europa - 9 de maio e, assim contribuir para a reflexão sobre a importância da aplicação dos Fundos da União Europeia.

Os concorrentes podem submeter a sua fotografia até 29 de abril, e habilitar-se a prémios FNAC num total de 3.100€.

As 12 melhores fotografias serão selecionadas, com recurso a um júri, e serão posteriormente submetidas a votação do público na rede social Facebook, através da página oficial do IDR Madeira, para apuramento do 1º lugar, com prémio no valor de 1.000€, 2º lugar no valor de 700€, e 3º lugar 500€.

Os restantes 9 apurados receberão, cada um, um prémio no valor de 100€.

A decisão será conhecida a 9 de maio, Dia da Europa, com cerimónia de entrega de prémios e exposição fotográfica na FNAC Madeira às 18h00.

Se tens entre 15 e 30 anos, concorre, até o dia 29 de Abril com trabalhos realizados na Região Autónoma da Madeira.

Consulta o REGULAMENTO do concurso e a LISTA DE PROJETOS a fotografar do Programa Madeira 14-20 e sabe como participar.

 

Fonte: IDR/Madeira 14-20

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assinada declaração conjunta sobre o próximo quadro financeiro da UE

Qui, 19/04/2018 - 12:32

19/04/2018

Foi ontem assinada uma Declaração Conjunta entre o Governo e o PSD sobre  a posição preliminar de Portugal quanto ao próximo quadro financeiro plurianual da União Europeia (UE), numa reunião que decorreu em Lisboa.

O Primeiro-Ministro António Costa sublinhou que, em matérias estruturantes, como a reforma do Estado, ou matérias que transcendem o horizonte de uma legislatura, como o quadro financeiro que se estende para lá de 2027, é fundamental que “haja acordos políticos alargados”.

Acerca da declaração sobre o próximo quadro financeiro plurianual da UE pós-2020, António Costa afirmou que foi possível ter uma posição conjunta de negociação junto da União Europeia, destacando a importância, junto da Comissão Europeia, de “haver uma posição conjunta do Governo e do principal partido da oposição”.

A declaração contém o enunciado de que o financiamento das novas políticas da União Europeia e da saída do Reino Unido não podem ser financiadas à custa da Política de Coesão, a Política Agrícola Comum ou do tratamento devido às regiões ultraperiféricas como os Açores e a Madeira.

A estratégia nacional de desenvolvimento entre 2020 e 2030, está assente em quatro Eixos fundamentais: 

Eixo 1 - Focado nas pessoas, nas suas qualificações, no combate às desigualdades

Eixo 2 - A inovação como o motor do desenvolvimento

Eixo 3 - Mais competitividade externa e mais coesão interna

Eixo 4 - Valorizar a sustentabilidade e os recursos endógenos

 

 

Fonte: República Portuguesa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ponto de situação do Plano Junker em Portugal

Qua, 18/04/2018 - 11:49

18/04/2018

Encontra-se disponível para consulta e download o Ponto de situação de Portugal no âmbito do Plano de Investimento para a Europa/Plano Juncker.

Até março de 2018, estavam aprovados para Portugal 30 projetos ao abrigo das garantias do FEIE - Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos, com 2,1 mil M€ de financiamento associado a um investimento expectável de 6,1 mil M€.

Na janela Infraestruturas e Inovação, estavam aprovados financiamentos com garantia FEIE no valor de 1,1 mil M€ e um investimento previsto de 3,1 mil M€ para 18 projetos.

Para financiamentos a PME, estavam aprovados mil M€ que se poderão traduzir em 3 mil M€ de investimentos no quadro dos 12 acordos com intermediários financeiros, dos quais poderão beneficiar 4.575 empresas.

Consulte a Factsheet de Portugal do Plano de Investimentos para a Europa.  

Há nesta data mais 2 projetos do que no final de 2017 e acréscimos de 199 M€ de financiamento com garantia FEEI e de 600 M€ de investimento previsto.

Em relação ao trimestre anterior, Portugal passou da 8ª para a 10ª posição entre os países com maior valor de financiamento aprovado, tendo descido para a 5ª posição em valor aprovado per capita e para a 2ª posição no valor em percentagem do PIB. Consulte a Lista de Projetos FEIE.

 

Saiba mais:

| Plano Juncker - Ponto de situação de Portugal em 31.03.2018

 

 

Fonte: AD&C/NAAP

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aprovados 262 projetos turísticos que promovem a coesão territorial

Qua, 18/04/2018 - 11:02

18/04/2018

O Programa Valorizar, que apoia investimento em projetos turísticos que promovam a coesão económica e social do País, tem 262 projetos aprovados, num total de 62 milhões de euros em investimento.

O anúncio foi feito pelo Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, na Assembleia da República, que acrescentou “já disponibilizámos 593 milhões para este setor, que está a crescer bem, não apenas na procura, mas também na oferta, com grande número de novos investimentos e de investimentos de requalificação”.

Assim, o Programa Revive, de incentivo à recuperação do património do Estado por privados para a exploração em regime de concessão para projetos turísticos, tem "uma linha no valor de 150 milhões para apoiar projetos, especialmente projetos de recuperações de imóveis históricos”, para 33 edifícios sinalizados.

As linhas de qualificação da oferta “têm já 163 projetos de mais de 200 milhões de investimento [205,8 milhões] em curso, o que significa muitos hotéis a serem renovados, alguns a serem criados e também alguns hotéis novos que estão a abrir”.

Neste momento há mais de 100 novos hotéis que estão em construção, muitos deles fora dos locais de intensidade turística.

 

 

Fonte: República Portuguesa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vote no Projeto 'Escola da Natureza' do PO SEUR até dia 22 de abril

Ter, 17/04/2018 - 17:24

17/04/2018

O projeto ‘Escola da Natureza|School of Nature do Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental de Viana do Castelo foi nomeado como um dos cinco finalistas dos European Natura 2000 Awards, sendo o único projeto português a concurso.

Ainda pode votar neste projeto até ao dia 22 de abril AQUI.

O projeto, foi cofinanciado pelo PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, com um montante de Fundo de Coesão de 160.356,75 €.

Tem como parceiros os Municípios de Esposende e de Vila Nova de Cerveira, a Universidade de Coimbra, através do Instituto do Mar, e o suporte científico e técnico do Centro de Biologia Molecular e Ambiental da Universidade do Minho e do Centro de Conservação de Borboletas de Portugal.

Os European Natura 2000 Awards serão entregues numa Cerimónia a realizar no dia 17 de maio e visam reconhecer a excelência na gestão dos Sítios Natura 2000 e o trabalho realizado no âmbito da sua conservação, mostrando o valor acrescentado para as economias locais e aumentando a conscientização pública sobre o valioso património natural da Europa.

Os prémios vão já na sua quarta edição e foram consideradas elegíveis 75 candidaturas em cinco categorias:
 

  • Conservação

  • Comunicação

  • Benefícios socioeconómicos

  • Reconciliação de interesses/perceções

  • Cooperação Transfronteiriça e Redes
     

As 75 candidaturas foram avaliadas por um painel independente de peritos para reduzir a lista a 25 finalistas, sendo o projeto ‘Escola da Natureza|School of Nature um dos 5 finalistas na categoria “Comunicação”.

Vote neste projeto AQUI

 

Fonte: PO SEUR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eurorregião Galiza-Norte de Portugal com agenda de Cooperação no setor do Turismo

Ter, 17/04/2018 - 11:25

17/04/2018

A Eurorregião Galiza-Norte de Portugal vai avançar com uma agenda de cooperação no setor do Turismo e os trabalhos já começaram com a promoção dos caminhos portugueses de Santiago de Compostela.

Cofinanciado pelo Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriço Interreg Espanha – Portugal, o projeto liderado pelo Turismo do Porto e Norte de Portugal e agregando como sócios, a Direção Regional de Cultura do Norte, a Axencia de Turismo de Galicia e o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza-Norte de Portugal, passa pela estruturação, proteção e valorização dos caminhos portugueses de Santiago de Compostela.  

Os próximos passos desta agenda da cooperação foram debatidos num encontro promovido pelo AECT Galiza – Norte de Portugal no Terminal de Cruzeiros em Matosinhos, a 9 de abril.

O evento juntou, do lado português, a CCDR-N, o Turismo de Portugal, o Turismo Porto e Norte de Portugal, E.R. e a Associação de Turismo de Porto e Norte de Portugal e, do lado galego, a Xunta da Galicia, o Instituto de Turismo de España – Turespaña, I.P. e a Axencia de Turismo de Galicia.

Além de identificar, harmonizar, uniformizar e certificar os Caminhos de Santiago, pretende-se uma gestão coordenada das suas rotas principais, uma sinalização harmonizada e a melhoria conjunta da receção e hospitalidade dos peregrinos (em estabelecimentos públicos e privados).

A meta é 2021, ano Xacobeo em que se prevê uma maior afluência de peregrinos.

Adicionalmente, os organismos da Região do Norte e da Galiza comprometeram-se a trabalhar em conjunto na candidatura do Caminho Português a Património Mundial da UNESCO.

Na reunião foram, igualmente, debatidos outros temas da agenda de cooperação como a valorização do demais património turístico da Eurorregião, a internacionalização e promoção conjunta do território e o intercâmbio e formação dos recursos humanos.

 

Fonte: CCDRN

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Programa Casa Eficiente 2020 vai ser replicado no estrangeiro

Ter, 17/04/2018 - 11:07

17/04/2018

No passado dia 13 de abril foi apresentado o Programa Casa Eficiente 2020 em Lisboa, pelo Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, e Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

A iniciativa do Programa Casa Eficiente 2020 vai ser replicada noutros países pelo BEI - Banco Europeu de Investimento e segundo Pedro Marques, “Vamos ser uma espécie de piloto numa iniciativa completamente inovadora”.

O Programa Casa Eficiente 2020 visa conceder empréstimo em condições favoráveis a intervenções que promovam a melhoria do desempenho ambiental dos edifícios de habitação particular, com especial enfoque na eficiência energética e hídrica, bem como na gestão dos resíduos urbanos.

O vice-presidente do Banco Europeu de Investimento, Andrew McDowell, referiu que o objetivo é “aprender e poder replicar noutros lados” a experiência portuguesa, destacando o programa “pela inovação e inspiração que podem dar a outros”.

O Programa pretende melhorar o desempenho ambiental do parque habitacional, aumentar a qualidade do edificado e estimular comportamentos ambientalmente responsáveis, bem como dinamizar a construção civil, promover toda a fileira da construção e criar emprego.

 

DESAFIO INDIVIDUAL A CADA CIDADÃO

Pedro Marques sublinhou que a política de reabilitação urbana é muito extensa e têm de ser analisadas, casa a casa, as condições ambientais que têm de ser melhoradas, seja a nível de janelas ou de eletrodomésticos e lançou o desafio a “cada cidadão, família ou empresa proprietária de frações que queira e que considere que tem condições para (...) desenvolver este investimento”.

Os edifícios objeto de intervenção podem localizar-se em qualquer posto do território nacional e as intervenções podem incidir sobre prédios urbanos ou suas frações autónomas existentes (incluindo as partes comuns desses prédios), destinados a ter como uso a habitação coletiva ou unifamiliar», refere uma nota explicativa do programa.

Os empréstimos podem ser concedidos a projetos que promovam a melhoria ambiental nos domínios da eficiência energética, na utilização de energias renováveis, na eficiência hídrica e na gestão de resíduos sólidos urbanos.

O Programa tem um valor total de financiamento de 200 milhões de euros, para o período de 2018 a 2021: 100 milhões de euros do Banco Europeu do Investimento e 100 milhões de euros disponibilizados pelos bancos aderentes (Caixa Geral de Depósitos, Millennium BCP e Novo Banco).

 

Consulte aqui:

| FOLHETO Casa Eficiente 2020

 

 

 

Fonte: República Portuguesa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Museus do Mundo na Europa da Minha Região

Seg, 16/04/2018 - 18:01

16/04/2018

A edição de 2018 de "A Europa na minha Região" dá a conhecer durante o mês de maio alguns dos projetos apoiados por fundos da União Europeia em Portugal e nos restantes 27 países da União Europeia.

​No dia 3 de maio a "Europa na minha Região" estará com o PO CH - Programa Operacional Capital Humano na Escola Profissional de Arqueologia (EPA) para dar a conhecer o projeto Museus Pelo Mundo, desenvolvido pelos formandos do curso de Técnico de Museografia e Gestão do Património, financiado pelo POCH no âmbito do Fundo Social Europeu.

Este projeto pretende envolver os formandos do ensino secundário na temática do património cultural em particular no universo dos museus, numa partilha de conhecimento sobre museus e a criação de uma coleção de postais de museus de todo o mundo que possa ser estudada, inventariada, acondicionada e divulgada.

Na freguesia do Freixo, no concelho de Marco de Canaveses, este evento servirá também para celebrar o Ano Europeu do Património Cultural que acontece durante o ano de 2018.

A exposição "Arqueologia: Ciência que estuda o passado" será outro dos projetos de porta aberta a visitar na "Europa na Minha Região".

Também desenvolvida pela Escola Profissional de Arqueologia, esta iniciativa pretende ser uma mostra de artefactos de cariz arqueológico, com elementos essenciais para o estudo sociocultural e da ocupação do território português.

No Museu Municipal Carmen Miranda, Marco de Canaveses, esta exposição permite aos visitantes acompanhar a linha temporal que marca os principais períodos da evolução humana.

Estes dois eventos são abertos para todos os interessados e serão transmitidos em direto no website e Facebook do POCH e no Facebook da EPA.

A "Europa na Minha Região" é uma campanha da União Europeia (UE) que visa incentivar os cidadãos a descobrirem projetos da UE perto do local onde vivem: a abrirem as portas de projetos financiados pela UE ao público; a tirarem as melhores fotografias para apresentação no concurso de fotografia; a escreverem histórias sobre os projetos da UE para participação no concurso de blogues; e a testarem os seus conhecimentos sobre as regiões da UE respondendo a um questionário desafiante.

Todos os projetos em Portugal e nos restantes Estados-membros podem ser consultados no Mapa de Eventos preparado pelo InfoRegio que disponibiliza ainda um toolkit de comunicação.

Assista ao vídeo da Europa na Minha Região.​

 

 

Fonte: PO CH

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Três portugueses recebem 8,5 ME em bolsas do Horizonte 2020

Sex, 13/04/2018 - 15:20

13/04/2018

O Conselho Europeu de Investigação anunciou os nomes dos 269 vencedores do concurso de Bolsas Avançadas de 2017, onde constam três investigadores de nacionalidade portuguesa.

Estes cientistas de excelência, que elaboraram trabalhos de investigação relevantes nos últimos 10 anos, foram contemplados com um total de 653 milhões de euros, dos quais perto de 8,5 milhões para portugueses, no âmbito do Horizonte 2020 - Programa de Investigação e Inovação da União Europeia.

Os projetos aprovados de investigadores portugueses foram os seguintes:
 

| DIGISMART, uma plataforma multifuncional de materiais digitais para aplicações inteligentes integradas, por Elvira Fortunato, da NOVA.ID.FCT

| MACI, módulos, ciclos algébricos e invariáveis, por Rahul Pandharipande, do ETH Zurich

| DCPOIESIS, uma solução em estado estacionário e orientada para a produção de células dendríticas, por Caetano Reis e Sousa, do Francis Crick Institute
 

Sobre este assunto, o Comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, afirmou que, “É com grande entusiasmo que tenho visto os mais recentes resultados dos investigadores portugueses nas bolsas do Conselho Europeu de Investigação. Estes três investigadores agora premiados comprovam, mais uma vez, o trabalho de qualidade que os cientistas portugueses fazem, tanto no seu país como no estrangeiro. Estas Bolsas Avançadas têm apoiado investigadores de excelência desde 2007. São um grande exemplo de como o financiamento europeu pode ajudar a expandir as fronteiras da ciência e do conhecimento, dando as ferramentas e os recursos necessários para que se continue a produzir investigação inovadora e de alto risco, garante da competitividade europeia a nível global”.

 

 

Fonte: CEI

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Apresentação dos projetos aprovados na 2ª Convocatória do Interreg SUDOE

Sex, 13/04/2018 - 11:20

13/04/2018

Nos passados dias 9 e 10 de abril, realizou-se em Santander, o seminário de gestão dos Projetos Aprovados no âmbito da 2ª Convocatória do Programa Interreg SUDOE.

Nesse seminário foram, também, promovidas sessões paralelas apresentadas pelas respetivas Autoridades Nacionais do Programa.

 

Na sessão da Autoridade Nacional Portuguesa foi efetuada uma Apresentação com os seguintes temas abordados:
 

  • Funções da AD&C enquanto Autoridade Nacional

  • Sistema de Controlo de Primeiro Nível

  • Sistema de Verificação das despesas

  • Sistema de Validação das despesas

  • Categorias de despesas elegíveis

  • Enquadramento legal

  • Contratação Pública
     

Consulte aqui a APRESENTAÇÃO:

| INTERREG SUDOE V-B: Apresentação aos Beneficiários da 2ª Convocatória

 

APROVAÇÃO DE PROJETOS 2ª CONVOCATÓRIA

A 7 de fevereiro de 2018, o Comité de Programação reuniu-se em Lisboa, onde aprovou os projetos da 2ª Convocatória.

Foram aprovados 21 projetos com um orçamento FEDER de 24.999.363,77 euros, dos quais 13 projetos no Eixo 1 com um orçamento FEDER de 15.549.855,30 euros e 8 projetos no Eixo 5 com um orçamento FEDER de 9.449.508,47 euros).

Consulte aqui a CLASSIFICAÇÃO.

Os Beneficiários Principais receberão uma carta de notificação em que serão informados da pontuação obtida para cada um dos critérios de seleção. Do mesmo modo, o Secretariado conjunto entrará em contato com os Beneficiários Principais dos projetos aprovados para informá-los sobre as etapas a seguir.

 

IMPORTANTE: a programação dos projetos não será considerada definitiva até que os Acordos de Concessão FEDER sejam assinados, uma vez que os beneficiários apresentem todos os documentos solicitados e as modificações sejam feitas conforme exigido pelo Comité de Programação.

 

 

 

Fonte: AD&C-NCTE/SUDOE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Apresentação da 4.ª Convocatória de Projetos do Programa Interreg Europe

Qui, 12/04/2018 - 16:46

12/04/2018

No próximo dia 7 de maio, realiza-se uma sessão de esclarecimento sobre a 4.ª Convocatória de Projetos do Programa Interreg Europe, promovida pela AD&C - Agência para o Desenvolvimento e Coesão, em articulação com a NOVA FCSH - Universidade Nova de Lisboa | Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.

Este encontro específico acontece no seguimento da aprovação dos Termos de Referência para a 4.ª Convocatória de Projetos de Cooperação Interregional, por parte do Comité de Acompanhamento do Programa Operacional Interreg Europe.

Na sessão de esclarecimento serão apresentados os Termos de Referência da 4.ª Convocatória, uma retrospetiva da 3.ª convocatória, bem como um Projeto com execução em curso, cujo Chefe de Fila (Universidade de Aveiro) irá partilhar a sua experiência de candidatura ao Programa, e os desafios que envolvem a participação num Projeto de Cooperação Territorial.

O encontro terá lugar no dia 7 de maio, pelas 14h00, na NOVA FCSH - Universidade Nova de Lisboa | Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Auditório 1 da torre B. Avenida de Berna, 26-C / 1069-061 Lisboa.

As INSCRIÇÕES devem ser efetuadas através do respetivo FORMULÁRIO.

 

Fonte: AD&C-NCTE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Portugal Inovação Social destina 3ME ao Algarve

Qui, 12/04/2018 - 11:38

12/04/2018

Realizou-se, ontem, a sessão de lançamento da iniciativa Portugal Inovação Social na região do Algarve, presidida pela Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques.

O evento foi promovido em conjunto pela CCDR Algarve - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, o Programa Operacional CRESC Algarve 2020 e a EMPIS - Estrutura de Missão Portugal Inovação Social.

Os dois primeiros instrumentos financeiros da Portugal Inovação Social para o Algarve, a lançar até final do ano, vão destinar três milhões de euros aos projetos de respostas inovadoras de cariz social.

O aviso de candidaturas regionais para o instrumento Parcerias para o Impacto será publicado até final do mês de maio e representa um valor de dois milhões de euros. Este instrumento permitirá o cofinanciamento de projetos em 70 por cento, com o montante em falta (30%) a ser colocado pelo investidor social, que poderá ser "um município, uma empresa ou uma associação".

Por outro lado, informou a ministra da Presidência, o aviso regional para o instrumento Títulos de Impacto Social, com uma verba de um milhão de euros, será lançado em outubro.

Este mecanismo pressupõe a devolução do valor aplicado inicialmente por um investidor social, a 100%, caso sejam atingidos os objetivos mensuráveis a que os candidatos se propuseram.

"A julgar pela adesão à conferência de apresentação, o interesse é enorme e estamos muito otimistas relativamente à capacidade de pôr o dinheiro à disposição e de ele ser efetivamente aproveitado para os fins programados", disse, à margem da sessão, Francisco Serra, presidente da CCDR Algarve.

No total, a Portugal Inovação Social, que já estava presente em três outras regiões (Norte, Centro e Alentejo), terá um 'bolo' de cinco milhões de euros para investir no Algarve até 2020 e os avisos de candidatura aos restantes instrumentos de apoio serão abertos ao longo dos próximos anos.

O Portugal Inovação Social é "o primeiro plano de inovação social apoiado num estado-membro por fundos comunitários", explicou a ministra, visando "encontrar novas soluções para problemas que são cada vez mais importantes na sociedade".

Matérias como o envelhecimento da população e a solidão a que isso conduz, o insucesso escolar, a inclusão digital ou a recuperação do património poderão ser alvo de apoios, exemplificou Maria Manuel Leitão Marques.

Outra das prioridades passa pela criação de uma incubadora para a inovação social no Algarve, que permita apoiar as associações e organizações da região interessadas em apresentar projetos.

De acordo com Filipe Almeida, presidente da Portugal Inovação Social, já foram aprovados 137 projetos nas regiões Norte, Centro e Alentejo, representando 12 milhões de euros em financiamento público.

Com a criação da iniciativa Portugal Inovação Social, em Dezembro de 2014, Portugal foi pioneiro na União Europeia ao canalizar uma parcela importante (cerca de 150M de euros) de fundos da União Europeia, do atual ciclo de programação 2014-2020, para a promoção da Inovação Social.

 

 

Fonte: CrescAlgarve2020/DN/Portugal Inovação Social

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PE explica a importância e benefícios da Economia Circular

Qua, 11/04/2018 - 15:54

11/04/2018

O Parlamento Europeu (PE) criou um VÍDEO e INFOGRAFIA no seu website onde explica o significado da Economia Circular e os seus benefícios para o Ambiente, para o crescimento económico e para o dia-a-dia dos cidadãos.

Todos os anos produzem-se 2,5 mil milhões de toneladas de lixo na União Europeia (UE), que atualmente está a atualizar a sua legislação relativa à gestão de resíduos para promover a mudança de uma economia linear para uma Economia Circular.

Mas do que falamos quando mencionamos Economia Circular? Quais são as razões e as vantagens de tal mudança?


ECONOMIA CIRCULAR

A Economia Circular é um modelo de produção e de consumo que envolve a partilha, a reutilização, a reparação e a reciclagem de materiais e produtos existentes, alargando o ciclo de vida dos mesmos.

Na prática, a Economia Circular implica a redução do desperdício ao mínimo. Quando um produto chega ao fim do seu ciclo de vida, os seus materiais são mantidos dentro da economia sempre que possível, podendo ser utilizados uma e outra vez, criando assim mais valor.

A Economia Circular contrasta com o modelo económico linear baseado no princípio “produz-utiliza-deita fora”. Este modelo exige vastas quantidades de materiais a baixo preço e de fácil acesso e muita energia.

A obsolescência programada contra a qual o Parlamento Europeu pede medidas também faz parte deste modelo.
 

 (clique para aumentar)
 

OS PROBLEMAS DA ECONOMIA LINEAR

A economia linear aliada ao aumento da população mundial tem causado uma procura crescente por matérias-primas, muitas delas escassas e finitas.

Para além da dependência de alguns países da UE de outros países para as matérias-primas necessárias, a extração e a utilização destas matérias-primas aumentam o consumo de energia e as emissões de CO2 com um grande impacto no ambiente.


BENEFÍCIOS DA ECONOMIA CIRCULAR

Medidas para a prevenção de resíduos e para a promoção do design ecológico ou da reutilização podem significar poupanças líquidas no valor de 600 mil milhões de euros, ou 8% do volume de negócios anual, para as empresas na UE e a redução das emissões anuais totais de gases com efeito de estufa em 2-4%.

A Economia Circular pode ainda trazer benefícios como:

  • A redução da pressão no Ambiente

  • Maior segurança no aprovisionamento de matérias-primas

  • Aumento da competitividade e promoção da Inovação, Crescimento e Emprego (criação dena UE)

A Economia Circular também pode fornecer aos consumidores produtos mais duradouros ​​e inovadores.

Saiba mais: 

| Briefing ECONOMIA CIRCULAR

| FILME Reparar, reutilizar e reciclar!

| INFOGRAFIA Economia Circular

 

 

 

Fonte: PE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VentureEU, o investimento de capital de risco em jovens empresas inovadoras na Europa

Qua, 11/04/2018 - 12:36

11/04/2018

A Comissão Europeia e o FEI - Fundo Europeu de Investimento lançaram o VentureEU um programa que estabelece um fundo de fundos de capitais de risco pan-europeu para estimular o investimento em empresas inovadoras em fase de arranque e em expansão em toda a Europa.

O VentureEU proporcionará novas fontes de financiamento, dando aos inovadores europeus a possibilidade de se converterem em empresas líderes a nível mundial. Cerca de 1 500 empresas em fase de arranque e em expansão deverão ter acesso a este financiamento em toda a UE.

A Europa dispõe de investigadores de categoria mundial e de empresários qualificados, mas tem de conseguir converter melhor essa excelência em histórias de sucesso. O  acesso ao capital de risco desempenha um papel fundamental na Inovação.

A Comissão e o FEI apresentam seis fundos que receberão apoio da União Europeia (UE) para cumprir a sua missão de investir no mercado europeu de capital de risco. Apoiados por financiamento da UE no montante de 410 milhões de EUR, os fundos deverão mobilizar 2,1 mil milhões de EUR de investimentos públicos e privados.

Espera-se que estes investimentos, por sua vez, gerem cerca de 6,5 mil milhões de EUR de novos investimentos em empresas inovadoras em fase de arranque e em expansão em toda a Europa, duplicando o montante de capital de risco atualmente disponível na Europa.

O capital de risco é essencial para o bom funcionamento da União dos Mercados de Capitais, mas continua a estar pouco desenvolvido na Europa. Em 2016, os investidores de capital de risco investiram cerca de 6,5 mil milhões de EUR na UE, contra 39,4 mil milhões de EUR nos EUA.

Além disso, os fundos de capital de risco na Europa são demasiado pequenos — 65 milhões de EUR em média, contra 156 milhões de EUR nos EUA. Em consequência, estas empresas deslocam-se para ecossistemas onde tenham melhores hipóteses de crescer rapidamente.

A UE disponibilizará investimentos de base num montante de 410 milhões de EUR, dos quais 200 milhões de EUR provêm do Horizonte 2020 - o programa europeu de financiamento da Investigação e Inovação, 105 milhões do programa COSME - programa europeu para as Pequenas e Médias Empresas, e 105 milhões do FEIE - Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (o chamado Plano Juncker) incluindo 67 milhões de EUR de recursos próprios do FEI.

O restante financiamento será angariado pelos gestores de fundos selecionados, principalmente entre investidores independentes.

Os seis fundos adquirirão participações num conjunto de fundos de investimento de menor dimensão e financiarão projetos em pelo menos quatro países europeus cada.

Estes fundos de menor dimensão irão ajudar a financiar pequenas e médias empresas (PME) e empresas de média capitalização de vários setores, como as Tecnologias da Informação e das Comunicações (TIC), o setor digital, as ciências da vida, as tecnologias médicas e a eficiência energética e de recursos.

O investimento da UE no VentureEU será gerido pelo FEI sob a supervisão da Comissão e executado por intermédio de seis gestores de fundos profissionais e experientes, assegurando uma abordagem plenamente orientada para o mercado.

Tal irá atrair mais investimentos e aumentar significativamente a disponibilidade de capital de risco para as empresas em fase de arranque e em expansão na UE.


Ligações úteis:

 

Fonte: Rep. CE Portugal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Candidaturas abertas à Formação 'Educação para os Direitos Humanos: uma prática quotidiana?'

Qua, 11/04/2018 - 11:40

11/04/2018

De 7 a 11 de maio de 2018 vai decorrer, em Santa Maria da Feira, a formação nacional ‘Educação para os Direitos Humanos: uma prática quotidiana?’, promovida pela Rede Inducar, ​financiada pelo Conselho da Europa e cofinanciada pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira​ em parceria com o SOS Racismo, o CRIA, e a ESE – Escola Superior de Educação.

​​Com esta formação pretende-se capacitar profissionais de juventude (youth workers), professores, educadores, formadores e/ou outros atores que estão ou tenham interesse em estar envolvidos em processos educativos, para desenvolver atividades de Educação para os Direitos Humanos nos seus contextos e promover uma cultura universal dos Direitos Humanos. 

Todas as pessoas interessadas em integrar o grupo de 25 participantes devem preencher o Formulário de Candidatura até ao dia 20 de abril de 2018, após a leitura da Chamada de Participantes.

A INDUCAR

Rede Inducar – Organização para a Promoção da Educação Não Formal e da Integração Social, é um agente internacional a atuar em contexto de redes e parcerias para uma sociedade integrada, assente na capacitação do indivíduo, numa cultura de responsabilidade e aprendizagem mútua.

​Tem como Missão contribuir, em articulação com outros, para a dinamização de processos orientados para a transformação de atitudes, através de uma diversidade de respostas inovadoras e de qualidade.

​A diversidade é presença inalienável na intervenção da Inducar, enquanto fator catalisador da aprendizagem e de enriquecimento dos processos de mudança e de transformação, pessoais e sociais.

Atenta às particularidades dos processos locais, a Inducar apresenta-se como interface de âmbito e de preocupações globais, assente, fundamentalmente, nos princípios da participação de todos, da coresponsabilidade e do espírito de equipa.

A Inducar constitui-se como uma organização cooperativa e aprendente, aberta a iniciativas e projetos socioeducativos que podem partir dos seus Sócios e/ou de uma ampla REDE de pessoas ou organizações que se encontram próximas da cooperativa e que com ela partilham uma mesma abordagem aos processos de aprendizagem e mudança.

A Inducar conceptualiza, desenvolve, implementa e avalia processos de aprendizagem no sentido do sucesso das organizações, podendo estes assumir a forma de projetos, ações de formação ou serviços de consultoria.

Estes podem constituir-se por iniciativa própria, em parceria ou ao serviço de outras instituições nacionais e internacionais, sejam elas do setor público, do setor privado ou do terceiro setor.

A Inducar é associada da European Association for the Education of Adults, da Rede Portuguesa da Fundação Anna Lindh e tem o estatuto de Organização Não Governamental para o Desenvolvimento.

 

Fonte: Rede Inducar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Roteiro 'Oportunidades de Financiamento IFRRU 2020' teve mais de 2500 participantes

Ter, 10/04/2018 - 18:49

10/04/2018

O IFRRU 2020 - Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas, concluiu a 2ª. Fase do Roteiro de apresentação das Oportunidades de Financiamento, com 16 sessões realizadas por todas as regiões do país, contando com mais de 2500 participantes.

Este Roteiro, numa parceria entre a ANMP – Associação Nacional de Municípios Portugueses e o IFRRU 2020 acordada no Comité de Investimento, tornou-se numa oportunidade para o acesso e o aproveitamento efetivo dos fundos disponíveis no âmbito do IFRRU 2020.

Encontra-se no website do IFRRU 2020 em EVENTOS um pequeno retrato de cada uma das sessões estando também aí disponíveis os suportes de comunicação então utilizados:

 

APRESENTAÇÃO em powerpoint

VÍDEO da apresentação realizada na sessão de Coimbra

FILME de divulgação do IFRRU 2020

FOLHETO síntese

 

Está agora em curso a 3ª. Fase deste roteiro, com sessões organizadas por cada um dos Municípios, mais dirigidas para os potenciais interessados em cada ARU - Área de Reabilitação Urbana/PAICD – Plano de Ação Integrado para as Comunidades Desfavorecidas.

Até ao momento já foram realizadas sessões em Castelo de Vide, Nisa, Barreiro, Aveiro e Santiago do Cacém, de entre uma lista de agendamentos, com cerca de 2 sessões por semana já confirmadas até julho.

 

OPORTUNIDADES DO IFRRU 2020

O IFRRU 2020 é um instrumento financeiro destinado a apoiar investimentos em reabilitação urbana, que cobre todo o território nacional.

Para potenciar mais o investimento, o IFRRU 2020 reúne diversas fontes de financiamento, quer Fundos da União Europeia do PORTUGAL 2020, quer fundos provenientes de outras entidades como o Banco Europeu de Investimento e o Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa, conjugando-os com fundos da banca comercial.

Num único pedido de financiamento, apoia-se, em condições mais favoráveis, o investimento na reabilitação urbana e na eficiência energética do imóvel a reabilitar, sem restrições na natureza da entidade que solicita o financiamento ou no uso a dar ao imóvel a reabilitar.

Este pedido poderá ser apresentado junto da rede comercial dos bancos selecionados – Santander Totta, Banco BPI, Millenium BCP e Popular -, e em qualquer momento, isto é, sem fases prévias para apresentação dos pedidos de financiamento, e sem limites ao número de pedidos que pretenda realizar.

Consulte aqui o FOLHETO síntese.

 

 

Fonte: IFRRU2020

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Propostas para o Orçamento Participativo Portugal 2018 até dia 24 de abril

Ter, 10/04/2018 - 15:14

10/04/2018

Ainda pode submeter Propostas até dia 24 de abril, ao Orçamento Participativo Portugal (OPP) 2018, instrumento onde os cidadãos podem decidir como investir cinco milhões de euros.

Este ano o Orçamento Participativo Portugal (OPP) abrange todas as áreas de governação. O OPP é um processo democrático deliberativo, direto e universal, através do qual os cidadãos apresentam propostas de investimento e escolhem, através do voto, quais os projetos que devem ser implementados em diferentes áreas de governação.

O OPP abrange a totalidade do território português, integrando grupos de propostas de âmbito territorial diferenciado: um de âmbito nacional; um por cada uma das áreas das NUT II (Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo, Algarve); um por cada Região Autónoma.

A II Edição do OPP, cujo orçamento aumentou de 3 para 5 milhões em relação à edição anterior, avança com um conjunto de novidades. Uma delas é a evocação da Revolução do 25 de Abril, porque é de democracia, dos ideais da liberdade, e da participação popular que falamos, quando falamos de orçamento participativo.

Por isso, o roteiro de encontros participativos pelo país – que se mantém tal como aconteceu na I Edição - tem reproduzido, geograficamente, locais relevantes para a ação militar do 25 de Abril, levado a cabo pelo Movimento das Forças Armadas.


Consulte o CALENDÁRIO de encontros:

  • Lagos – dia 20 de fevereiro
  • Vila Nova de Gaia – dia 22 de fevereiro
  • Mafra – 27 de fevereiro
  • Serra da Carregueira – 1 de março
  • Santarém – 6 de março
  • Viseu –  7 de março
  • Lamego – 8 de março
  • Figueira da Foz – 13 de março
  • Porto – 14 de Março
  • Vendas Novas – 21 de março
  • Estremoz – 22 de março
  • Aveiro – 4 de abril
  • Guarda – 5 de abril
  • Viana do Castelo – 10 de abril
  • Santa Margarida – 12 de abril
  • Funchal – 16 a 20 de abril
  • Angra do Heroísmo - 16 a 20 de abril
  • Lisboa – 24 de abril

 

As eventuais atualizações dos locais e das datas dos Encontros são feitas no website do OPP.

A segunda novidade é o recurso às redes de bibliotecas públicas e municipais e de Espaços Cidadão como redes parceiras do OPP, para acolher e apoiar as pessoas que queiram submeter as suas propostas para o OPP 2018.

A utilização destas redes físicas de participação é fundamental para a mobilização e inclusão de todos como forma de complementar a abertura do canal online para apresentação de propostas que é outra das novidades do OPP 2018 relativamente a 2017.

A fase de apresentação de propostas decorre até dia 24 de abril através do portal do OPP em www. opp.gov.pt/.

Entre 11 de junho e 30 de setembro todos podem votar nas propostas OPP, através do portal ou por SMS gratuito.

 

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO PORTUGAL

O Governo lançou em 2016 o primeiro Orçamento Participativo de âmbito nacional, a nível mundial.

A partir da boa experiência de mais de uma centena de municípios que em Portugal têm orçamentos participativos, o Governo organizou e concretizou em 2017 a I edição do Orçamento Participativo Portugal (OPP).

Em 2017 foram realizados encontros participativos nas diferentes regiões do país, nos quais participaram mais de 2.000 pessoas. Estiveram em votação 600 propostas apresentadas pelas pessoas e, hoje, já estão em fase de concretização os 38 projetos que recolheram a maioria dos cerca de 80 mil votos no OPP 2017.

Considerando a boa adesão e participação das pessoas a este processo democrático, direto e universal, o Governo decidiu aumentar a verba inscrita no Orçamento de Estado para o OPP de 3 milhões para 5 milhões.

Em 2018 as pessoas podem apresentar propostas para as regiões e para país e decidir como vão ser investidos 5 milhões de euros, votando nas propostas apresentadas no OPP.

Para além de aumentar significativamente a verba do OPP, o Governo decidiu alargar o OPP a todas as áreas de governação. Em 2018, as pessoas podem apresentar propostas em qualquer área de intervenção do Estado, sem exceção.

 

Fonte: DGE/MPMA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Páginas